sábado, 31 de maio de 2008

A não-inexorabilidade da vida.



Do latim inexorabile, austero, implacável.

Muitas vezes somos levados a pensar, pela empolgação ou mesmo pela inocência que vive a nos alimentar a sonhos e utopias, a pensar que a vida é inexorável e que não vai mudar nunca. Levados pelo desejo ou mesmo pelo pessimismo de que tudo vai continuar sempre como está e que não adianta lutar ou tentar mudar o rumo das coisas, muitas e muitas vezes, ficamos com medo ao ver que as coisas não funcionam necessariamente assim.

O medo é um sentimento inerente do ser humano, é uma vivência arquetípica, de fato. Mas lidar com ele é algo que nem sempre estamos preparados a ver e enfrentar. Aliás, ele sempre aparece [o medo] quando menos se espera. Logo, impossível levantar as armaduras contra esse.

Há algum tempo atrás acreditava que estava tudo planejado na minha vida. Conseguir um emprego, começar e terminar minha faculdade, juntar dinheiro, ir embora e comprar minha casa pra viver uma vida normal. A vida era, até então, inexorável (ao menos no meu mundo imaginário) mas aconteceu que – pasmem! – descobri que nem sempre as coisas funcionam de uma maneira predeterminada.

Sempre disse que se soubéssemos de tudo que iria acontecer, previamente, a vida não teria graça. Graça no sentido de importância, é claro. Mas falar é fácil. Difícil é conhecer um macaco que olha para o próprio rabo. Acho que a lição não se aplicou a mim – e quando vi que todos esses sonhos ruíram para dar espaço a outros, um pouco mais ousados (alguns dirão maduros, eu não me arriscaria a tanto!) fiquei surpreso e quase imóvel. Só não imóvel porque deu vontade de correr – correr atrás do que eu vi [os novos sonhos].

Enfim, o Mistério de que a vida é um ciclo, que nada é inexorável e que a Roda está sempre girando e nossos sonhos andando em uma verdadeira espiral, pode parecer um pouco mais profundo que algumas palavras simbólicas e aleatórias que poderiam, aparentemente, explicar isso. Assim, um pouco mais difícil de viver e aprender. Aprender para renascer, logo depois de morrer mais uma vez.

* Uma estrelinha na testa de quem gosta da palavra inexorável.
Detalhe de O Pai Tempo vencido por Esperança, Amor e Beleza (Simon Vouet, 1627) 

18 comentários:

Gabriel Arévalo disse...

E isso me convence que eu não devo fazer uma tatuagem.

;-)

Parabéns, magnífico como sempre.

Karina disse...

É...nossa lista de prioridades muda com facilidade, às vezes, com facilidade até de mais.
Ainda não acho que isso seja ruim.
Belo texto!
Bjos

Poderosa disse...

Natureza das coisas
Autor: Accioly Neto
Ô chá, lá, lá, lá, lá
Ô chá, lá, lá, lá, lá

Se avexe não...
Amanhã pode acontecer tudo
Inclusive nada.

Se avexe não...
A lagarta rasteja
Até o dia em que cria asas.

Se avexe não...
Que a burrinha da felicidade
Nunca se atrasa.

Se avexe não...
Amanhã ela pára
Na porta da tua casa

Se avexe não...
Toda caminhada começa
No primeiro passo
A natureza não tem pressa
Segue seu compasso
INEXORAVELMENTE chega lá...

Se avexe não...
Observe quem vai
Subindo a ladeira
Seja princesa, seja lavadeira...
Pra ir mais alto
Vai ter que suar.

Ô coisa boa é namorar,
Ô coisa boa é namorar.

(lembrei dessa música na hora....e INEXORAVEL é uma palavra muito batuta...rsrs)

Bejinhus!!! muita saudades das nossas risadas, das nossas fofocas, dos seus concelhos...

Paulo Vilmar disse...

Diannus!
A blogosfera têm estas coisas belas de trazer-nos agradáveis surpresas! Na inexorabilidade inconstância dos acasos (ou Não?)maravilhei-me com teu blog. Penso, que o que é verdadeiramente inexorável, em nós, é exatamente a capacidade de mudarmos todos nossos planos em 14 milionésimos de segundo e, ainda, acharmos uma explicação plausível para isso! Isso nos faz humanos (sabe-se lá o que significa!). Espero você, novamente em meu blog...
Quanto às espadas, sou gaúcho mais pacato, não sou de cultuar as tradições e apegos ao chão criolo, valorizo mais as pessoas! Escritor bisexto, porque, uma vez, publiquei alguns escritos e talvez, num futuro qualquer, volte a cometer este desatino.
Abraços...

Pedro Favaro disse...

Tenho pra mim que nossos sonhos, por mais definitivos que eles pareçam, entram nessa máquina de moer e são destruidos para serem renovados também.

Mariah disse...

percebi que tinha crescido quando descobri que o presente não era simplesmente a continuação do passado.
minha vida não era um projeto meu encenado...cada ato meu tinha um desdobramento, inesperado, indesejado muitas vezes.
um certo dia nos percebemos "diretores" da cena. percebemos que não estamos simplesmente atuando um script que alguém nos escreveu...as decisões são nossas.
esta descoberta é simplesmente aterradora...
boa sorte.
mariah

SILÊNCIO CULPADO disse...

Um texto magnífico este sobre a inexorabilidade da vida.
Há uma máxima que eu gosto muito de citar porque é para mim uma referência:

"Coragem para mudar o que pode ser mudado.
Bom senso para aceitar o que não pode ser mudado.
Capacidade de discernimento para distinguir ambas as coisas."

Abraço

Sei que existes disse...

A vida é assim mesmo!...
Beijocas grandes

Leo Carioca disse...

Cara, se você souber como a minha vida saiu ao contrário do que eu planejava quando era criança e adolescente...
Mas acho que o motivo principal é que as coisas nunca duram o tempo que você quer, né? Tem coisas que acabam muito antes do que você queria e outras que acabam muito depois.
É estranho, mas é assim.

RUI disse...

Retribuindo a sua visita ao meu blog... mas não apenas por isso. Achei interessante o texto e posso te dizer amigo, por vivências próprias, que a vida não segue um roteiro pronto e que muitas das coisas que planejamos e erroneamente idealizamos não se concretizam. Procuro ver isso por um lado positivo. Se não foi, talvez não fosse mesmo para ser. Outro aspecto que gostaria de comentar diz respeito a esta idéia de imutabilidade da vida: "tudo é assim, então, será sempre assim"... é o que as pessoas costumam assimilar. Particularmente não concordo e tambem creio que a mudança deve ser de dentro para fora. O erro está em acreditarmos que é de fora para dentro. Aprendi que não é assim.

abraço!

Rui Lemes disse...

Retribuindo a sua visita ao meu blog... mas não apenas por isso. Achei interessante o texto e posso te dizer amigo, por vivências próprias, que a vida não segue um roteiro pronto e que muitas das coisas que planejamos e erroneamente idealizamos não se concretizam. Procuro ver isso por um lado positivo. Se não foi, talvez não fosse mesmo para ser. Outro aspecto que gostaria de comentar diz respeito a esta idéia de imutabilidade da vida: "tudo é assim, então, será sempre assim"... é o que as pessoas costumam assimilar. Particularmente não concordo e tambem creio que a mudança deve ser de dentro para fora. O erro está em acreditarmos que é de fora para dentro. Aprendi que não é assim.

abraço!

([salix sam]) disse...

Boa tarde Diannus^^
Bom......eu me assuto com isso...veja bem....as vezes dá uma sensação de irresponsabilidade e volubilidade....uma pessoa que não leva até o fim o que começou...

Mas as vezes encontramos outros meios pra chegar ao nosso destino....meios mais interessantes....pesando entre os dois caminhos....e escolhas...

Vc usa o tarô Mitológico né? É mais ou menos a carta 7 de ouros....

Vai ver é pq nem tudo é o que parece ser....ou as vezes nós mesmos não sabemos o que nossa alma realmente deseja...'__'....por isso mudamos tanto de idéia....pq permanecemos no aro externo da roda...e não no centro.

Beijos e Bençãos
)O(

Poesia! disse...

boa tarde! gosto muito do seu blog! sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com). o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas. gostaria de ser um parceiro seu! me responda no email ofogoandacomigo@yahoo.com.br. OBRIGADO

Magali disse...

Oi.
Realmente, tudo se transforma, né?
Outro dia, estava tendo este mesmo diálogo com um amigo meu. Falou, para mim que as coisas mudam, que os ciclos da espiral não cessam e o que fomos no passado deixamos de ser.
Refleti longamente sobre este assunto, já que essa pessoa me toca profundamente porque sinto a sabedoria nas palavras dele. Porém, houve 'um quê' de inconformidade dentro de mim, alguma coisa que me fez relembrar de minhas vidas passadas. Existem tendências que jamais se alteraram, não importando o lugar onde tenha eu nascido nem a experiência vivida, minhas respostas, meu interior, sempre foram os mesmos. E perguntei: 'ora, o passado diz quem seremos no futuro e os dois não existem, apenas há um interminável presente'.
Em frente as mais diversas situações, sempre tive as mesmas respostas, se eu sempre fui 'a mesma' o que realmente muda?
Será que dormir com a morte nos transformará tão profundamente assim? Não tenho as respostas agora, queria ter.
Porém, sei que nossos planos se alteram, que as pessoas passam, apesar de regressarem a seu tempo, mas algo secreto, dentro, escondido, jamais se altera. Eu sinto isso, hoje, quem sabe deixo de sentir amanhã?
Adorei seu texto por me farer reavaliar todas estas minha idéias. De vez em quando, eu visito teu blog, escuto as palavras, mas prefiro a poesia na beleza das fotos ;)
Bastet.

Cesar Dutra disse...

Vou tatuar minhas costas com uma frase que inexeroravelmente não vai mudar. EU vou continuar sendo César, mas toda vez que alguém ler vai entender e a sua verdade questionar.

abraços e obrigado por tbem visitar meu blog.

http://cesardutra.blogspot.com/

Day Caroline disse...

Oi Odir, tudo bem?

Adcionei teu blog na lista de recomendações do meu blog.

Bjus se cuida amado...
namastê ou hari bol

Flá disse...

eu tenho medo de ter medo. E também tenho medo dessa minha falta de medo - atirar-me é algo que me é essencial, como respirar.

Excelente texto.

Beijo, moço.

Cássio disse...

Excelente texto!