terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Sobre um passado, o presente e algum futuro.



Pensando, pensando, a gente pensa que a vida é feita de pessoas. Pessoas que vem, e vão embora, que marcam a ferro e fogo, outras sequer um sorriso pode ser lembrado. Mesmo que tenha tido o tempo de não gostar de pessoas - e todo mundo tem esse tempo - hoje eu confesso que gosto de muitas delas. Umas, de maneira considerável, outras nem tanto.

São essas pessoas que, de forma direta ou não, ensinam a gente a viver. E a não viver. A aprender, e não aprender. A ganhar e a perder - pois sim, a partir do momento que homens não são árvores, eles são livres pra voltar pra casa. Ou pra buscar a sua, se caso ainda não tenham a encontrado. Aliás, gosto de gente que ainda procura sua casa!
De qualquer forma, cá estou eu depois de alguns meses correndo, pra lembrar. Lembrar pessoas. Agradecer, mandar um beijo, mandar a merda, tudo isso que as pessoas fazem umas com as outras, e que os livros ou filmes não conseguem. A não ser que tenham sido escrito por escritores. Ou filmes por diretores.


Um Louco que sai da caverna, é um Louco Apaixonado. Que ama e odeia. Ama porque não conhece, e odeia pelo mesmo motivo. Há muito tempo atrás, uma pessoa muito especial me disse que não se ama ou odeia as coisas. Mas só se aprende a lidar com elas, uma vez que são todas elas, ramos de um mesmo galho, caminhos de uma mesma encruzilhada. Mas como o Louco que sou, eu amo. E odeio. Amei o que essas pessoas me proporcionaram, se foram risadas, se foram beijos, se abraços, se horas e horas de dança, se bebedeiras, choros, confissões, momentos de conversas sérias. Se debates importantes, ou só se perguntas de como estava o tempo foram feitas. Amei, e amo.


Odiei ter me despedido. Prestado atenção nos pensamentos que contaram que muitas daquelas coisas jamais se repetiriam nessa vida. Odiei, por alguns instantes, odiar. Mas a vida é assim mesmo.


Quando vendi minha alma ao Diabo, ele me disse que a mesma moeda que compra é a que recebemos de volta. Mas eu continuo fazendo de conta que não presto atenção. Até mesmo porque, eu não banalizo a palavra "amor". E ao contrário de muitos, tampouco o faço com o "ódio". Quando digo que amo, é porque amo. Quando digo que odeio, é porque odeio. E odiar não é sinônimo de não-amar.


Sheli que foi, Jean que foi. A amizade da minha mãe que foi. Maurício que foi, e quem sabe um dia volta. A indiferença da minha família que está. Mirela que está, Marcia que está. Robson que chegou. Odeio, mas amo vocês antes de tudo.

"Hoje ao diabo,
se o eu não fosse,
me daria eu próprio."

- MEFISTÓFELES, de Goethe.

Detalhe de Narciso (Caravaggio).

8 comentários:

Jean disse...

Como você mesmo disse, e eu também sou assim: quando eu amo, eu amo!!!
E eu amo você. tão pouco tempo de convivência. Tão poucos momentos juntos, mas tenho a plena certeza de que foram os momentos mais marcantes. Momentos que já estão marcados para o resto da minha vida. E nunca vou deixa-los de lembnrar pois vou rir e chorar e isso me faz bem. Sentir a saudade me faz bem. Dói? Machuca? Sim. Já estou acostumado. Mas o importante é o significado disso: Saudade pra mim é sinônimo de amor. Então, pra sempre te amarei. Eu fui, mas logo estou voltando. E também quero que venha. Pois tu serás bem recebido.
Obrigado por me amar.
Je

FBR disse...

Pessoas marcam, mas pessoas que nasceram pra marcar, não basta passar em nossa vida, tem que ter algo a mais pra deixar...!Amo voce!!

Anônimo disse...

Em uma outra vida, lembro-me de ter dito que ao passo que eu machuco alguém sabendo o que faço, você machuca as pessoas sem saber, ou melhor, sem se importar com isso. Lembro-me de ter dito que um dia você me magoaria ao ponto de que eu iria embora, e você me perderia para sempre. Terminamos a conversa com um "será?".

Lembro também que um dia você pediu que eu me afastasse porque eu o machucava, e assim eu o fiz. Hoje eu me afastei porque você me machucou... talvez um pouco mais do que eu consegui fazer a você. E ainda assim não passa um dia, uma noite ou um sonho que não seja sobre você, que eu não me veja pensando em você.

Pq eu conheci pessoas maravilhosas, pessoas que marcaram profundamente minha vida, mas foi apenas vc que conseguiu dividir minha vida em antes e depois de conhecê-lo. Mas permanecer ao seu lado, do jeito que as coisas estavam, causaria a minha morte. de novo.

vc disse que eu fui. Entretanto, eu nunca deixei o seu lado. A minha promessa. não, o meu amor por você, permanecerá sendo o mesmo não importa quanto tempo passe. Se uma coisa que eu aprendi nesses anos que vivi é que se existe alguma coisa, alguma pessoa que eu posso considerar como permanente, eterno, esse alguém é vc.

Só que, dessa vez, o primeiro passo a ser dado não deve ser o meu Mon Amour. Eu estou exatamente onde você me deixou. Vc voltaria para me buscar? ou seguiria sua vida como têm feito, deixando que seu orgulho o guie?

Anônimo, que você sabe quem é =P

Robson Rogers disse...

"E A vida é isso, é falta de definição"

Pra uns amor e ódio andam juntos, pra outros odio não é o contrário de amor.

Há quem diga que o amor não existe. Há quem diga que existe e é para sempre.

Cada um cria suas definições e se condiciona às próprias regras que escolhe acreditar.

Hoje creio que sim, "Love is in the Air"! Hoje acredito que amar ultrapassa barreiras de crenças, gostos, afinidades. Que não se deixa vencer pela distância e que nem a pitada de ódio ou rancor é capaz de constatar a ausência de um afeto carinhoso.

Uns chegam, outros se vão. Uns sempre estiveram ali e só foram percebidos agora.

Quem sabe sejamos seletivos demais para amar à todos, mas, graças a Deus, cientes de que amaremos sem esforços aqueles que nos cativam facilmente nas idas e vindas do di-a-dia.

E sei lá... pelo tempo que tiver que ser.

([salix sam]) disse...

é...vender a alma pro diabo é tenso....

mas se vc souber o truque...dá pra pegar de volta =)

pessoas marcam nossa vida e nem sabem...não é absurdamente estranho isso?....as vezes pessoas nos adimiram e a gente nem suspeita....

gosto de vir aqui ler seus pensamentos...pena que vc tem frequentado pouco esse lugar =(

Muitas coisas estranhas tem acontecido com meus relacionamentos tb....familiares principalmente.

A mãe é sempre uma coisa delicada...
E agora meu pai e meu irmão...e uma prima....
minhas tias....>_<'

xD (conversa subjetiva)

=) viu...aparece mais aqui...pra expor o que pensa da vida...e como vão os seus dias^^

beijão pra ti

Vagner disse...

Existem pessoas que marcam teu passado, teu presente e teu futuro...Tu foi uma delas.

Obrigado Odin, Bundinha, Modi, e muito mais coisas que eu te chamo.

celso disse...

Confesso que fiquei chocado ao ler o texto, a algumas coisas que eu queria escrever a um tempo, mas nunca veio inspiração sulficiente, mais do que tenso - Profundo.

ótimo texto!
continue escrevendo, deixo o endereço do meu Blog: pocosdemim.blogspot.com

"Carol docE" disse...

Independentemente de querermos ou não, sempre vamos acabar magoando alguém e também seremos magoados.

O ser humano é cheio de feridas e muitas deles nem cicatrizam, mas devemos tirar boas e saudosas lições até mesmo das coisas que nos ferem/feriram.

Adorei o blog.
Surpreendente.

Sucesso, sempre.