sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sobre minhas verdades.

Oxalá um pagão eu fosse,
Por velhas ilusões acalentado.
A paisagem seria bem mais doce,
E o mundo menos desolado.”
Wordsworth.

Não consigo acreditar que a Terra é um globo que gira ao redor de uma estrela cuja luz reflete num satélite e que igualmente gira ao redor da Terra. Tampouco que esse astro de luz é mais uma das muitas estrelas que compõe o céu do universo. Também não acho que morte é escuridão.

Honestamente, eu acredito que o Sol pode, de fato, girar sobre a Terra, e não o contrário, bem como Apolo pode correr sobre os céus troteando com seus cavalos dourados, inspirando aos homens a música, e a poesia e o intelecto, bem como também delega, no final da sua jornada, lugar à Aurora que em pouco tempo tece os céus com seus fios avermelhados, e que depois de tê-lo feito, abrirá caminho à Ártemis, que depois de subir dos Infernos, também cavalgará pelo céu estrelado: e dessas estrelas, algumas delas foram um dia os cães de caça do seu único amor, um homem caçador – que também hoje é uma estrela – e que foi morto propositalmente pelo seu irmão durante o dia, anteriormente. Vemos no céu seu arco prateado onde, na medida em que os homens e mulheres morrem na Terra, suas almas sobem aos céus fazendo que seu arco torne-se ao longo de algumas noites ainda mais luminoso tornando-se um círculo completo e cheio de luz. Como a vida e a morte também são círculos, e aqueles que se foram precisam renascer novamente entre aqueles que amaram, assim voltam à essa mesma Terra, e é por isso que luminosidade da lua diminui, e assim continua diminuindo, até desaparecer totalmente.

Se perguntarem sobre minhas crenças, é essa a resposta.

Detalhe de xilogravura alemã do séc. XVI

8 comentários:

([säm]) disse...

Já eu acredito que a Terra, a Lua e o Sol dançam, todos girando em torno de algo que ainda não vemos...

Mas compartilho das suas crenças =) sobre os giros e sobre as almas^^

I. disse...

Já discuti exatamente esse texto que você pôs aqui tantas vezes... é, não somos sozinhos! :]

Diego ~ Ewan Thot disse...

Enfim, www.diannusdonemi.com :)

"o pai riu" rsrsr

Leo Carioca disse...

Como disse a Säm, eu acredito que tudo no Universo gira ao redor de alguma coisa que a gente ainda não sabe o que é.

Nina disse...

Observe que nenhuma das alternativas apresentadas exclui a outra!

Passei para agradecer seu gentil comentário e tive uma bela surpresa!

Gostei muito de seu blog, bem como dos que você acompanha.

Parabéns pelo bom trabalho! E agora, com licença, vou explorar mais!

As bençãos.

Nina disse...

...tempos depois...
você conquistou uma admiradora com seu texto sobre o que é puro ou impuro.
Ah, gosto muito do poema de Wordsworth postado aqui. Li (traduzido) pela primeira vez quando era criança, e ele me trouxe uma melancolia genuína. Faz refletir, de qualquer modo.

Emanuel disse...

Olá, tudo bem?
Hoje é o último dia para concorrer a dois box de baralhos COPAG - o Persian Garden e o Monet - e a um livro sobre o Tarot de Marselha, acompanhado dos 22 Arcanos Maiores. Participe aqui: http://conversascartomanticas.blogspot.com/2011/04/promocao-copag-conversas-cartomanticas.html

Possui Twitter? Participe aqui: http://conversascartomanticas.blogspot.com/2011/04/promocao-copag-conversas-cartomanticas_15.html

Grande abraço e boa sorte!!!

Emanuel J Santos - Conversas Cartomânticas

brunodiniz disse...

Muito bom! Estava precisando ler isso. Acabei de passa por um situação no facebook, postei uma frase do livro 'As Brumas de Avalon' que diz que não existe uma verdade única, a verdade tem várias faces e caminhos. E vieram comentar que isso era chamado de relativismo. Eu fiquei pensativo, se esse comentário era para menosprezar a frase ou não. Fiquei na dúvida se isso era relativismo ou diversidade (como foi comentado depois em outro comentário.) Mas sei lá esse texto me passou algo bom depois de ler.