sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Por uma salvação terrena e não espiritual.

Nunca vou esquecer da conversa que tive com um cristão há alguns anos atrás. Perguntei-o por que evangélicos ativistas não se envolviam em trabalhos de cunho ecológico ou ambiental, por exemplo. Sua resposta foi clara e objetiva: "Porque essas coisas não se leva pro céu quando morrer"

E essa frase diz muito e explica ainda mais, evidentemente. Se pararmos um pouco pra pensar, ao menos de modo geral, acredito que poucas pessoas ainda esperam uma salvação espiritual. Honestamente, não acho que muitos mais procurem isso. A salvação que muitos procuram é a salvação terrena, da matéria, do corpo. Afinal, é a terra que é suja, o homem que é falho e a sociedade que é cruel. Muito fácil seria fecharmos os olhos pra essas questões – como há muito tempo tem sido feito – e dialogar sobre o post-mortem. Um dos poucos ganhos da modernidade, do cientificismo e do materialismo é que as pessoas tornaram-se corajosas. 

Hoje corpo e matéria já não vivem tão separados como outrora, e sacralizando uma coisa, a outra torna-se então obrigatoriamente sagrada. E não é com dificuldades que encontramos a cultura do paganismo que responde perfeitamente a essas questões. Preocupações sobre céu, purgatório e inferno nunca preocuparam os intelectuais pagãos de modo efetivo. É sobre a vida, a fertilidade, o calor, o êxtase e a ESSA existência (que por vezes engloba algumas outras que são vivenciadas paralelamente, incluindo a Morte) de que eles sempre falam com propriedade.

Honestamente, não sei se são essas coisas se leva para um céu. O que sei é que são exatamente essas coisas que deixaremos aos que virão depois de nós. E um dia, como Ancestrais, sem dúvida alguma teremos vergonha do nosso legado se não fizermos nada para melhorar a forma em que as coisas atualmente se encontram.

Detalhe de Uma criança doente no templo de Esculápio (Waterhouse).

4 comentários:

Aethelwulf disse...

Penso que o que leva pro céu é uma frase que eles não compreendem mas difundem dogmaticamente. Fazer o que né? ;)

Robson Rogers disse...

Muito revoltante a resposta do evangélico. Muito bem empregado teu ponto de vista sobre o nosso dever de se preocuparmos com o que vamos deixar para nossos descendentes, não com o que iremos ou n levar conosco. Isso prova que o ser humano não quer salvar seus irmãos, mas salvar apenas a si. E uma vez querendo salvar apenas a si, não há salvação para ninguém. (isso, é claro, se eu acreditasse em salvação).

Leo Carioca disse...

Bom, talvez os evangélicos não se preocupem com ecologia porque eles não podem converter árvores, não podem converter animais... Então, não se interessam muito por eles. Afinal, árvores e animais não pagam dízimo pra sustentar pastor ladrão, né?
Talvez tenha sido até algo parecido com isso que esse evangélico quis dizer, já que, na cabeça dos evangélicos, só vai pro Céu quem for DAQUELA igreja específica.

Adash Van Teufel disse...

"...E um dia, como Ancestrais, sem dúvida alguma teremos vergonha do nosso legado..."

Perfeita frase, sintetiza a triste realidade da religião, que não vê panorama futuro aqui no organismo de Gaya.

Teu blog e textos são de uma beleza rara. A sensação que tenho é semelhante a de visitar o Santander Cultural e tomar um capuccino numa tarde de outono. É uma riqueza visual e cultural com uma boa dose de requinte!

Por favor, continue!

Abraços.