domingo, 25 de março de 2012

5 frases que você não ouvirá (ou não deveria ouvir) de um neopagão.

Detalhe de Apolo tocando o Alaúde
(Riviére, 1874). A música aqui é uma
metáfora para a ligação desse deus
com os animais e a vida "selvagem".
Por neopaganismo aqui vou englobar as crenças e práticas geralmente de caráter politeísta e de identidade reconstrucionista comumente reconhecidas no mundo contemporâneo ocidental. É evidente que toda a regra traz suas exceções e essa lista de "5 frases que você não ouviria" de um neopagão certamente não se aplicará, em algum momento, a alguém que se considera praticante do neopaganismo.

O objetivo desse pequeno texto é dar um apanhado geral das crenças comumente aceitas pelo movimento do neopaganismo ocidental e suas aparentes contradições com os sistemas religiosos que nos foram tradicionalmente apresentados.

1. O homem foi criado pra crescer, multiplicar, dominar os animais e a natureza: Hoje vivemos em um mundo de recursos finitos, e ainda que tenhamos essa consciência, ainda que superficialmente, não parece que ainda aceitamos essa concepção. Gosto muito da adaptação do conceito de James Lovelock sobre a teoria de Gaia: a visão da Terra como um organismo vivo e dinâmico. Como todos sabemos, Gaia para os gregos era a deusa-mãe, uma Ancestral comum, doadora da vida e da fertilidade e diferente de Ceres (ou Deméter) que estaria, ao meu ver, mais relacionada aos campos e as colheitas. A presunção de que a natureza é algo a ser dominado já é conhecidamente falha, falta ser aceita. De modo geral, os grupos neo-pagãos preferem creditar à Natureza um aspecto de sacralidade, reverência e respeito. Outro aspecto que desde o Iluminismo pode ser colocado em cheque é o do ser humano como o símbolo da perfeição e reflexo de Deus. Nossas sociedades não são perfeitas, justas ou igualitárias e se acredita que "Deus" é um conceito um tanto quanto mais amplo para ser traduzido em "homem".

O Triunfo de Pã (Poussin). A sexualidade
explícita do paganismo clássico sempre
foi mau vista pelo Cristianismo. Mais tarde
esse tipo de imagem se converteu no
estereótipo do "sabá" das bruxas. 
2. Sexo é pecado, assim como tudo o que é natural ou físico que é mal. O espiritual é bom: Hoje o budismo é uma das doutrinas politeístas que trabalha de modo bastante interessante sobre a evolução espiritual alcançada através do distanciamento das coisas materiais, mas não acho que essa seja uma tendência no movimento neo-pagão ocidental atualmente. Geralmente esse maniqueísmo material-espiritual é rejeitado e é comum a percepção de diferentes realidades que devem ser trabalhadas e respeitadas, não em modo de "ascensão" ou "evolução" vertical, mas tão somente uma convivência de "justaposição" horizontal.

3. Meu Deus é verdadeiro, o seu não é. Minha religião é a correta, e a sua a errada: Depois de alguns milênios de história em que esses argumentos foram usados como legitimação de poder, bem sabemos por onde nascem as "guerras santas". O atual movimento neo-pagão, por ser em geral um movimento politeísta, não dá espaço para esse tipo de mentalidade. Pois quando se assume uma realidade (ou múltiplas realidades) onde não existe um só Deus, mas vários Deuses que devem ser respeitados, a noção de que "somente um caminho leva ao Pai" seria contraditória por natureza.

A Temperança, no tarot de
Marselha. Esse arcano repre-
senta a capacidade de mudar,
transformar, transferir nossa
atenção àquilo que merece
cuidado. Essa é a carta daqueles
que têm a mente e o coração
abertos para aprender sempre.
4. "Aquele velho" ou "aquela velha". O uso da palavra "velho" no sentido pejorativo: Quanto a isso, ainda não encontrei discordâncias. O neo-paganismo por ser um movimento que resgata crenças e práticas do passado para adaptá-las aos dias atuais é uma cultura, poeticamente falando, nostálgica por natureza, onde conceitos como Antepassado, Antigo, Velho são palavras sagradas e sempre contextualizadas com respeito. Se um neopagão estiver sentado no banco preferencial do ônibus, sem dúvida ele será um dos primeiros a levantar e dar o lugar ao idoso. A concepção de "Respeito" é algo que vai além de rituais noturnos.

5. "Cada um com seus problemas" quando o assunto se reporta à questões ambientais, por exemplo: Geralmente existe uma concepção comum entre os grupos neo-pagãos de que tudo e todos estão ligados, de uma ou de outra forma, e que todas as sociedades formam uma só teia. E por sociedade não entende-se grupos humanos, mas a vida como um todo é respeitada em suas várias manifestações: animais, vegetais, minerais são manifestações do Sagrado e quando um elo dessa corrente é prejudicado todos saem perdendo.

De qualquer forma, ainda não conheci nenhum tipo de religiosidade que fosse seguida sempre à risca pelos seus seguidores. Logo, com o neopaganismo não é exceção. O que nos resta fazer, então, é trabalharmos por uma conscientização teórica e prática da cultura pagã da qual compartilhamos. 


10 comentários:

Luiz Carlos Ferreira disse...

Amado, não vamos muito longe, imaginemos... Imagine/Lennon...
Saúde e Paz!

Katharina Dupont disse...

excelente texto Odir! especialmente sobre a teoria de Gaia da qual sou fiel partidária!!

Emanuel disse...

Tolerância, compaixão e ausência de respostas prontas, já que as Divindades são sensoriais... Sinto assim. Excelente texto!

Rafael Henrique Santos disse...

Creio que o seu blog é um dos melhores veículos de conscientização neopagã que já vi! Assim como esse post!

Fabio Carvalis Nuno disse...

Seus textos são sempre elucidantes,creio q muitos pensam igual mas lendo o q vc escreve ajuda a organizar melhor as ideias.Parabéns!

Ariany Moreira disse...

Gratidão por compartilhar! São coisas que nunca ouvi de um pagão...

Pythio disse...

Ah! Adorei o texto!! Cada frase que eu lia eu pensava "WTF?! Como alguem poderia dizer algo assim?" Mas a realidade nua e crua diz que isso é verdade em muitas vidas... o que me motivou foi o sentimento de indignação ao ler cada frase, certamente nenhum pagão iria (pelo menos, não deveria) dizer... mas não só isso, eu sempre falo que paganismo é uma postura mental tb, não são as frases em si que importam, mas os valores por tras delas... e são os valores que precisam ser trabalhados, os valores pagãos... isso sim, precisa mesmo ser repensado!
Bençãos e gratidão!

José Rocha disse...

Só hoje conheci este blog, mas a qualidade de dois textos lidos algo aleetoriamente fazem-me pensar que tenho aqui uma grande para encontrar o que procurava. Parabéns pela qualidade do que escreve! Por favor continue.

Pann disse...

Descobri esse blog num site de humor, e ainda com apenas dois textos lidos, me surpreendi. Raros são os blogs que encontro, com essa paixão e lucidez, com essa neutralidade - acho que não estou errada em usar essa palavra - sobre o assunto. Como neófita, foi uma felicidade encontrar esse blog. Irei degusta-lo da melhor maneira possível \o
Parabéns

Anônimo disse...

Só uma coisa: o budismo não prega o distanciamento das coisas materias exatamente, prega o desapego. Você pode morar numa mansão, desde que você não seja apegado a ela. O importante é que as coisas materiais não se integrem jamais ao seu conceito de Eu.