sábado, 17 de novembro de 2012

Chocolate (Lasse Hallström, 2000)

Um filme delicado, suave e de excelente bom gosto estético. Conta a história de Vianne Rocher (Juliette Binoche) e de sua pequena filha Anouk (Victorie Thivisol) que mudam-se para uma pequena cidade no interior da França e conseguem fazer com que, aos poucos, a vida das pessoas que viviam na pequena comunidade se transformem por completo. 

O estranhamento da mãe solteira e da jovem menina que chegam à cidade sozinhas é automático, e o fato de alugarem uma antiga peça para abrir uma chocolateria (chocolatier) em pleno feriado cristão de Pentecostes causa maior espanto ainda, principalmente no que toca ao nobre conservador e pregador de uma boa moral tradicional e de bons costumes Conde Paul de Reynauld (Alfred Molina). Quanto Vianne é questionada sobre o fato, responde ao Conde que não costuma frequentar a Igreja. Espantado, o Conde então decide então influenciar os moradores da pequena aldeia para que não frequentem a loja. 


Porém, Vianne inaugura a chocolateria e apesar das proibições do Conde de Reynauld as pessoas passam a frequentá-la. Quando chegam os clientes, a dona da loja gira uma pequena mandala circular de motivos indígenas da América Central (provavelmente Maia ou Asteca) e, ao girar a mandala sobre a mesa, Vianne e a filha Anouk incentivam o cliente a falar o que lhe vêm a mente. Interpretando uma espécie de transe daquele que observa a mandala, a senhora dos chocolates indica o tipo adequado àquela pessoa, fazendo com que, aos poucos, as pessoas deixem de lado seus medos e se atrevam à conhecer a liberdade. Porém, as coisas pioram quando, sob os olhos da cidade conservadora, aparece um bando de mercadores tidos como vagabundos, dentre os quais se encontra Roux (Johnny Depp). 

Vianne e os "mamilos de Vênus". 
O moralista Conde de Reynauld com Cristo crucificado ao fundo.
Mãe e filha na loja de chocolates.
Vianne e sua filha Annouk.
A senhora dos chocolates e uma das suas clientes.  
Johnny Deep. 

Vianne não deixa de seguir o arquétipo sacerdotisa e feiticeira que modifica a vida daqueles que o cercam. E como uma bruxa amaldiçoada e mau vista pelos olhos dos homens comuns, é uma marginal, isolada e peregrina, que de cidade em cidade, busca cumprir sua missão. Ao longo da história a ligação da personagem principal com as culturas pré-colombianas são explicadas de forma muito interessante aos olhos do observador atento. Pra quem gostou do filme The Mistress of Spices (O Sabor da Magia, 2005), esse filme não vai deixar de ser, no mínimo, admirado. 

Para assistir: Filme + Legenda (desmarque a opção Use Open Subtitles Download e clique em descarregar).
Sobre o filme: Colorido, áudio em inglês, legendas em português. 
Palavras-chave: Romance, Chocolate, França, Feitiçaria, Maias, Incas, Astecas, Idade Moderna

Veja aqui os outros filmes do blog.

Nenhum comentário: