quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Fausto (Murnau,1926)

Como primeira sugestão, não poderia ser outro clássico senão Fausto de Murnau. Alemão de 1926, é uma adaptação cinematográfica de uma outra obra de arte, não de menor importância, que é a obra literária Fausto, também do alemão Goethe.

Ambientado no estouro da Peste Negra, Fausto é o mago que olha com tristeza para o homem vulgar que não tem conhecimento do seu potencial. Fausto é a personificação do homem sábio que anseia pelo conhecimento: anseia por conhecer a vida, a morte, a alegria, a ciência e a magia. Quando descobre que já conhece todas as coisas do Universo, surge então o demônio Mefistófeles, que em troca da sua alma lhe ensina o seu maior anseio: o amor. 


Mefisto (também conhecido amigavelmente) é a própria representação do Diabo, que desafia, ousa, e por isso destrói. Mas, devidamente, para uma justa reconstrução ou finalização do ser que é Fausto, ou do verdadeiro potencial humano – que não é mau ou bom, certo ou errado, apenas humano. 



Fausto como um homem sábio.
Fausto na encruzilhada. 
Fausto invoca o demônio Mefistófeles em um Círculo mágico.
Mefistófeles e um imagem da Virgem Maria ao fundo. 

O filme é fortemente caracterizado pelo expressionismo alemão e seu jogo de luz e sombras que dá um tom macabro e sinistro, cuja natureza é, sem dúvida, inseparável da história. Fausto e Mefistófeles são meus heróis e minha inspiração, eu confesso.

Para assistir: Filme + Legenda.
Sobre o filme: Mudo, legendas em inglês.
Palavras-chave: Magia, Alquimia, Pacto com o Diabo, Idade Média, Idade Moderna.

Veja aqui os outros filmes.

Nenhum comentário: