quinta-feira, 14 de março de 2013

Atualização: Livro "Demian", de Herman Hesse.


Depois que conheci a obra graças a indicação de um amigo, Demian do Hesse virou o meu livro de cabeceira.

O livro conta a história de Sinclair, iniciando na sua infância até certo momento da sua vida adulta. Sinclair é um jovem burguês que vive na pacificidade do seu lar, o que metaforicamente o autor descreve como um um "mundo de luz" ou até mesmo "ilusório". Ainda durante a sua infância, Sinclair conhece Demian, um pouco mais velho que ele, rapaz que servirá como uma espécie de guia espiritual ao longo dos próximos anos da sua vida. Ainda que Demian viva afastado do protagonista também por muito tempo ao longo da história, o personagem que dá nome à obra servirá, direta ou indiretamente, como "guru" do Peregrinho que é Demian.

Sem entrar em muitos detalhes para não estragar o mistério da obra, poderíamos resumir, ainda que a grossas linhas, que de forma simplesmente genial, o livro retrata um processo de Iniciação que levou vários anos ao longo da juventude de um Peregrino. Que, a duras penas, aprende a se divorciar do rebanho e viver os seus sonhos por si mesmo, recebendo a marca de Caim na testa por conseguir ser seu próprio assassino - matando, então, o seu Eu profano. Sinclair descobre que ao longo da sua jornada, o "ilusório" do mundo profano tornou-se contrastado com o real do mundo espiritual.

O romance faz muitas referências à mitologia bíblica, quando é o caso por exemplo dos episódios de Caim e Abel ou do Calvário, mas também faz referência ao deus Abraxas, dos gnósticos. Aqui, esse último representando perfeição e a dualidade do bem e do mal convivendo em perfeita harmonia. Essa dualidade maniqueísta, a evolução espiritual sobre a realidade profana e até as críticas às instituições da família, da Igreja e do Estado são temas-chave dessa riquíssima obra.

Recomendado pra quem gosta de arte, literatura e/ou paganismo. Pra quem gosta dos três, é leitura obrigatória.

Para ler: clique aqui, pela Biblioteca da PUC de Campinas.

Aqui para ver a indicação de livros do blog.

4 comentários:

Claudio Melo disse...

Um de meus livros preferidos. O tenho aki. Aliás junto com Franz Kafka, Hermann Hesse são meus preferidos. Eu traduzi um conto dele do original.

Daniel Saraiva disse...

indispensável na prateleira! recomendadíssimo!

Gabi. Amarello disse...

e basta seguir lendo O lobo da Estepe

Txnaro disse...

Esse é o meu livro preferido. Ele atinge o leitor muito facilmente com a evolução de Sinclair. O jovem perturbado por Franz Kromer,assim que é "liberto" por Demian,começa a fazer seu próprio caminho,com muito sofrimento,até encontrar a si mesmo e se aproximar do seu ideal(Demian).
Um livro curto que possui uma profundidade enorme. Acho que nem a Montanha mágica,de Thomas Mann,ou Memória da casa dos mortos,de Dostoievski,e até mesmo a obra prima de Proust,Em busca do tempo perdido,atingem tanto a sensibilidade do leitor consigo mesmo,quanto o Demian. De pensar que comprei esse livro por acaso,estava a procura do Dorian gray,e felizmente me foi enviado uma obra ainda melhor.
Demian é leitura obrigatória pra qualquer um que busca a si mesmo.